quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Como preparar uma papinha (e otras cositas más)

Daí que esses dias uma revista famosa sobre crianças lançou uma campanha de extremo mal gosto, que visa minimizar a "culpa" que as mães tem por determinadas atitudes. A campanha seria ótima, se não fossem as tais "culpas" obviamente compradas pela indústria alimentícia. Várias das imagens continham menssagens como "não há problemas em dar papinha industrializada pro seu filho pra passar mais tempo com ele" ou "dar mamadeira também é nutrir com afeto". Nem vou entrar no mérito da mamadeira pq sim, eu acho que se pode nutrir com afeto dando uma mamadeira, mas acho que esta só é válida quando todos os outros recursos se esgotarem, agora, a tal da papinha industrializada eu acho IMPERDOÁVEL. Uma coisa é você comprar um potinho desses um dia ou outro, outra é você dar isso pro seu filho todo santo dia. A resposta das mães veio rápido:

(clique na imagem para ampliá-la)

A gente bem sabe que a industria tenta fazer a gente acreditar, todo santo dia, que a comida que eles colocam dentro de uma latinha e que lá pode ficar por meses a fio, é tão saudável e nutritiva quanto a comida que a gente faz na nossa casa, com legumes e verduras de verdade. Todo dia são horas e mais horas de propaganda, e se você sentar na frente da TV durante 15min no horário voltado pra programação infantil, vai se dar conta do que eu estou falando. É um verdadeiro absurdo a quantidade de coisas que eles querem te vender fazendo você acreditar que aquilo substitui um bom prato de arroz com feijão! 
Nos grupos de mães que eu participo, uma colega, a Amanda Lima, levantou um dado interessante retirado do rótulo de uma dessas papinhas, acerca de um substância chamada Fumarato Ferroso:

"Sobre o fumarato ferroso: 'doses superiores a 1g em crianças são suficientes para produzir irritação e necrose gastrintestinal. os sintomas mais comuns são náuseas, vômitos, palidez, cianose, cansaço, hematêmese e diarréia.' 
Sim, tem isso na papinha do seu filho e não se sabe a quantidade. Eu não arriscaria."

Pois é amiga, isso eles não contam na propaganda. Se teu pediatra te disse que papinha industrializada e caseira são a mesma coisa, eu recomendo que você comece a se questionar quem é que está financiando os congressos de pediatria no Brasil. 

Além do fumarato ferroso, as papinhas industrializadas com certeza devem ter outras coisas para que possam passar tantos meses assim, prontas e perfeitas, sem estragar. E olha amiga, como bióloga eu tenho o dever moral de te falar que se os bichinhos não querem, se os fungos não estão interessados em decompor aquela gororoba, é melhor você passar longe dela! 

Uma das principais alegações que eu ví as mães dando pra utilizar esse tipo de coisa pra alimentar os bebês é a falta de tempo. Bem, pensando nisso, como mãe que estuda das 7h às 17:30h, que chega em casa e vai arrumar lancheira pro dia seguinte, marmita pro bebê almoçar, roupas pra usar na creche, brincar com a criança, dar banho, colocar pra dormir e etc, eu resolví gravar um vídeo pra todas aquelas que, mesmo sem tempo, ainda se preocupam em dar um alimento decente pro bebê. Em 15min dá pra você fazer papinha pra semana toda e ir curtir seu filhote, sem culpa de estar dando uma porcaria pra ele comer que pode prejudicá-lo pro resto da vida. :) 



Se você quiser saber mais sobre introdução de sólidos, dá uma lida nesse livro AQUI, que é BÁRBARO!


E agora, na moral revistas e indústria, já tão ficando meio óbvias as estratégias de vocês! Só não vê quem não quer a falta de escrúpulos de vocês, que querem enfiar porcarias nos nossos filhos que os deixarão doentes no futuro (e que os tornará consumidores de outra indústria gigantesca, a de medicamentos). Só acredita em vocês quem quer, e nada no mundo vai me convencer que essa "culpa" a que a tal revista se refere se dá pelo fato de que, nós, mães, não estamos fazendo o nosso melhor pros nossos filhos por comodismo. Se você não tem 15min do seu dia pra preparar um alimento pro seu bebê, talvez seja melhor você repensar a sua relação com o seu trabalho e se a quantidade de horas que você está dedicando ao seu filho está sendo suficiente. 



Um comentário:

Amanda Lima disse...

Rá, eu tenho uma panela de pressão igualzinha a da Aretha! hahahahah

Adorei o texto e a menção, já tô compartilhando no facebook!!