quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Criando com apego: guia prático - parte doméstica

(capa da revista Times: "Você é mãe o suficiente?")

Daí que surgiu na internet o famoso termo "menas main" e toda aquela ladaínha que a gente já conhece. Olhando mais a fundo, se alguém é "menos" alguma coisa, óbviamente supõe-se que tenhamos alguém que seja "mais", logo, vim aqui pra tentar esclarecer alguns pontos e tentar dar dicas pras mães. Tenho visto muita gente usar o termo "super mãe" ou "mais mãe" pras meninas que praticam a criação com apego, que significa respeitar as necessidades de afeto, atenção e as necessidades do bebê e colocá-lo com prioridade, e isso tem me causado tamanho mau estar que eu tive que vir aqui vomitar. Todo mundo acha que pra criar com apego você tem que desistir da sua vida, largar o trabalho e ficar o tempo todo em função do "pequeno reizinho tirano", se anulando completamente, e o meu intuito aqui é mostrar que o que nós que criamos nossos filhos com apego fazemos não é nada de outro mundo, é apenas uma visão diferente de lidar com a criação de nossos filhos. 

Muita gente sempre diz "ha, mas eu deixei chorar à noite pq tinha que trabalhar no dia seguinte e só assim ele aprendeu a dormir", "ha, eu deixo ver tv pq só assim eu consigo lavar a louça e fazer o almoço" e outros N motivos, cada um mais ímpar do que o outro. O meu objetivo aqui é desmistificar essa "super mãe" e mostrar pra vocês que todas nós conseguimos passar pela primeira infância sem chupetas, mamadeiras, deixar chorar no berço ou colocar a criança pra assistir TV. Bora lá mulherada?

A primeira coisa que você deve ter em mente se deseja praticar a criação com apego é que o seu marido vai precisar ser parceiro. Sem marido companheiro, não tem criação com apego. Não vou passar pela questão do machismo e tal, mas acho que no mundo de hoje não faz mais sentido a mulher cuidar sozinha de casa e de criança. Se o filho é de ambos, o mínimo que o marido tem que fazer é colaborar. Então, partindo do pressuposto de que o seu marido deve sim ter funções domésticas e que tudo deve ser dividido, as coisas ficam mais fáceis e a mãe não vai ficar exausta ao final do dia.



Assim que Aurora começou a engatinhar, minha mãe nos deu um aspirador de pó. Ele vai evitar com que você enlouqueça cada vez que o bebê derramar farelos e coisas no chão. Não enlouquecendo por ter que varrer e limpar o tempo todo, você consegue deixar a sua criança comer cozinha e derrubar o prato no chão, consegue não ficar paranóica toda vez que o bebê tentar segurar a colher, não vai ficar maluca se ele resolver picar milhões de papeizinhos ou brincar de transferir a ração dos animais de um pote pro outro. O aspirador de pó me economizou milhões de rugas e muito estress, e valeu CA DA CEN TA VO! Com ele Aurora tem autonomia pra comer sozinha e brincar com o que quiser sem que eu tenha que me preocupar em varrer e passar pano! Coisa mais linda de deus! 

Outra coisa que eu fiz aqui em casa que me ajudou a reduzir drasticamente o nível de rugas foi comprar alguns utensilios de plástico. Dessa forma, Aurora sempre pôde brincar e explorar a cozinha sem maiores perigos. Desde 1 ano ela toma o suco no próprio copo, com a maior destreza e coordenação motora. Hoje, com 2 anos, tenho orgulho de falar que ela já come de garfo e que está aprendendo a usar a faca (ela mais faz bagunça do que usa a faca, mas é assim que ela aprendeu a usar as outras coisas). O prato ela carrega pra onde quer, bem como as cumbucas com lanches e etc. Nunca quebrou nada e assim ela tem autonomia pra fazer e pegar o que quiser, sem se machucar, sem quebrar coisas e sem que eu fique surtada.

A garrafinha de água dela também é de plástico. Hoje ela usa a do tipo "squeeze", mas antes, quando ela era um pouco menor e adorava derrubar água no chão, a gente usava o copinho com válvula, pois assim ela podia sapatear, pintar e bordar que não derramava nada no chão e não corria o risco dela tropeçar e cair. 



Tire os enfeites que quebram do alcance da criança. Tudo o que representar perigo deve ser tirado do alcance do bebê: travas na gaveta de facas, trava de segurança na privada e porta do banheiro fechada sempre, caixa de remédios em lugar alto, protetores de quinas, protetores de tomada. Tudo isso evita estress e perigo, e assim você torna a sua casa um ambiente amigável em que seu filho pode ir e vir sem que você perca a sua preciosa porcelana. Aqui em casa eu sempre tive poucos enfeites pq tenho 3 gatos bagunceiros, mas tirei os que me restavam em prol da minha filha poder ir e vir e se sentir pertencente à própria casa.



Não consegue fazer nada porque a criança toma tempo? Tente envolvê-la nos afazeres domésticos! Aurora me ajuda a costurar, lavar louça, colocar a roupa na máquina, fazer bolo e todos os outros trabalhos que uma casa exige. Se eu vou costurar, deixo ela brincar com os botões e linhas da minha caixa de costura (hoje em dia que ela está mais velha, quando era menor eu separava um monte de tecidos e dava pra ela brincar), se vou colocar a roupa na máquina, ela me ajuda tirando as roupas do cesto, e por aí vai. O que eu noto aqui em casa é que ela fica tão feliz por se sentir incluída e útil, que o trabalho doméstico acaba se tornando um prazer e uma forma de ficarmos juntos, e evita também o estress de mantê-la parada enquanto eu faço algo. Ela me ajuda em tudo, tudo mesmo, e acho importante pq também mostra pra ela que em casa todos nós temos uma função, e que cada um colabora de uma forma pra manter a casa organizada e a comida pronta. 



Deixar as coisas da criança na altura dela também facilitam muito e ajudam que ela tenha independência pra escolher o que quer pegar sem precisar de terceiros. Imagine morar numa casa onde tudo é grande ou pequeno demais pra você? em que você não consegue ir e vir sem ter que solicitar alguém? Pois é, aqui colocamos tudo o que é de Aurora na altura dela: as malas empilhadas da foto ficam com os brinquedos tipo quebra-cabeças, instrumentos musicais e brinquedos de encaixe. Embaixo da nossa escrivaninha tem o canto da Aurora com os livros, que ela pode escolher qual quer folhear e ou que a gente leia pra ela. No quarto o colchão está no chão, pra evitar quedas. No armário da cozinha tem uma prateleira com as comidas dela, ou seja, se ela sentir fome é só abrir e pegar. Água e suco sempre ficam em cima dessas malas ou na mesa dela. Caixa de brinquedo também. Só não fica ao alcance dela oq for perigoso. 


Pra guardar os brinquedos eu peguei uma caixa dessas de madeira que os verdurões e feirantes jogam no lixo, lixei bem, pintei e taquei os brinquedos lá dentro. Fica no chão, daí no final do dia é tocar tudo lá e acabou-se a bagunça e ninguém se acidenta pisando em pecinhas de lego! kkkkkkkkk



Enfim, espero ter ajudado! Depois volto com mais dicas sobre a parte do sono, de comidas práticas pra fazer e não precisar ficar 2h esquentando a barriga no fogão e etc.

Quero também pedir desculpas aos meus leitores mas é que, com o final de 4 meses em greve, o período ficou maluco e eu tô tendo prova atrás de prova. Assim que normalizar a situação, volto com as postagens regulares.


3 comentários:

...Família Colorida... disse...

Vou guardar todas essas dicas com carinho, especialmente a do aspirador de pó, rs rs rs

Bjos!

Tio do Churras disse...

A melhor coisa que existe é cozinhar/limpar as coisas com a Aurora.
Ela realmente adora ajudar e se sente extremamente feliz em fazer! (E ainda, de quebra, fica bem cansada e com fome ^~)

Escreveu muito bem, amor. Exemplificando como é nossa vida!

Te amo.o/

Dona Pipoca disse...

Eu quero as suas malas antigas de presentes, elas são lindas!